Em Dia de Pais…

Em Dia de Pais…

…a mãe, os filhos e a Família agradecem
com 
açúcar e com afeto…

(Chico Buarque)

 

Em Patos, na Paraíba, o Colégio Cristo Rei, administrado pela Congregação das Filhas do Amor Divino, tem sido uma instituição de honroso conceito. Um estabelecimento que se destaca pelo ensino e educação de qualidade em sua função educativa para diversas gerações.

As Irmãs dessa congregação organizam festas e eventos em datas comemorativas:  a Festa de Formatura,  o Dia das Mães, o Auto do Natal e também o Dia dos Pais. No tempo em que frequentei esse colégio as Irmãs ainda nas primeiras festas para os pais, e não me falha a memória, o quanto elas lamentavam por não conseguirem o mesmo glamour como na festa do Dia das Mães, sempre um lindo e requintado evento.

Não há surpresa que assim tenha sido, nos primeiros anos: Um evento no segundo domingo do mês de Maio, o mês mariano, dedicado à Nossa Senhora, novenas e belo rituais religiosos! Nenhuma festa no mês de agosto conseguiria suplantar. Então, a Festa para os pais, no segundo domingo do mês de agosto, só agora é que se torna um evento significativo.

Atualmente, percebe-se cada vez mais os pais assumindo juntos, não somente a educação e o cuidado com os filhos, mas também a participação nos trabalhos domésticos e na administração financeira, desde que as mães passaram a trabalhar fora do Lar. Então, os pais são comemorados também e justificadamente perante a criação de seu próprio dia.

No entanto, as mães é que ganharam um grande aliado. Enquanto isso, os pais tornaram-se participativos e assim recebem o reconhecimento, merecedores que são de uma invenção assim tão… comercial!

Mas, que não lhes frustrem esses fatos, pois estão ganhando potencialmente em afeto, o que os torna mais interessantes e, também eles mais afetuosos, um atributo que faz muito bem ao espírito, pela paz que faz irradiar.

Assim como às mães, aos pais também é devido esse prazer, acentuando-lhes mais a graça, embora possa parecer ter-lhes sido “usurpado”. Os pais, cientes desse deslize invisível, buscam se superar e, nessas tentativas, vão sendo eles mesmos seduzidos, surpreendidos pelo encantamento de serem pais, verdadeiramente.

Assim ganham os pais, as mães e os filhos. Enfim, ganha a família. Sim. A Família é realmente a protagonista de todas essas benesses. A sociedade deve-lhe mais atenção e cuidados. O Poder Público há muito deve ser penitenciado pela ausência de políticas públicas, educação, saúde, lazer e aperfeiçoamento em equipamentos urbanos (e rurais), com inovações e sempre mais facilidades domésticas.

A Família deve ser recompensada por ter sido, sempre e historicamente subtraída de proteção e recursos, pela função humanista , guardiã que são da perenidade da espécie humana. Assim como a ausência de ética e de boa prática política e de boa governança põem em risco a soberania e a existência de uma Nação, também o obscurantismo leva à precarização e à perda da função de guardiã da sociedade e da perenidade da existência dos seres vivos no planeta.

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Cancelar resposta