É proibido sonhar…

É proibido sonhar…

Voltamos à crônica intitulada Tributo às Crianças e, nesta oportunidade, damos continuidade à mesma reflexão. Justificamos o “nós”, pois somos devedores e responsáveis por essas crianças e adolescentes. Nós adultos, somos sim responsáveis não apenas pelos que são os nossos – filhos, sobrinhos, afilhados, enteados, brasileiros ou refugiados, todos são nossa responsabilidade e URGE QUE CUIDEMOS DELAS. E não apenas porque são nosso futuro, mas sobretudo porque são a VIDA, assim como a Natureza, as plantas e os animais, o solos e os mananciais…tudo importa.

Neste momento, em que procuro expressar meu pensamento, faço-o em pleno estado de perplexidade e indignação, quando 10 jovens, com idade entre 14 e 17 anos, seguiram em busca de seus sonhos e não puderam sonhar, sequer puderam dormir uma noite tranquila. Suas vidas lhes foram extirpadas da forma mais torpe e vil, pois foram queimados naquele antro que esperavam fosse um alojamento para futuros atletas.

Alguns podem ter sido interrompidos em pleno sonho, o sonho dourado de se tornarem atletas, pois na madrugada de 8 de fevereiro, dormiam quando foram surpreendidos com o sufocamento e as chamas que já se espalhavam por todo o aposento em que estavam “alojados”, logo ali, naquele lugar que parecia, deveria ser o CT (Centro de Treinamento George Helal), popularmente conhecido como NINHO DO URUBU, do Flamengo, no Rio de Janeiro.

Não por acaso, a Sociedade Brasileira não valoriza a infância e a juventude, tanto que as escolas, os espaços – diga-se a Família, a Educação e os Desportos – são totalmente desqualificados ao ponto em que, não raramente, são comparados à decrepitude, à violência e ao crime. Tudo é criminoso. A Humanidade e a Sociedade Brasileira estão à deriva, pela insensatez, pelo pensamento individualista e a corrida desenfreada pelo empoderamento.

2 comentários

Postagens aleatórias

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Cancelar resposta

2 Comentários

  • Luíza Moura
    17 de fevereiro de 2019, 05:00

    Apesar de ser um tema triste, gostaria de parabenizo a vocês criadores do Crônicas do Cotidiano por se proporem a dar uma visão mais social dos problemas ocorrido, e não só apenas noticiá-las. Mais uma vez, parabéns a todos vocês do Crônicas por esse portal de notícias reflexivo.

    RESPONDER
    • Vera Lucia Araújo@Luíza Moura
      21 de fevereiro de 2019, 12:12

      Caríssima Luíza. Realmente, criamos o Crônicas com essa intensão. Evidenciar um acontecimento nefasto à normalidade social. Nunca imaginamos que seriam tantos e tão explosivos os crimes. Na verdade, devemos não somente enfatizar o ocorrido. Tampouco nossa preocupação deva ser apenas denúncia. Não basta sermos mais um veículo e uma voz. Importa o chamamento para refletir e exigir atitudes. Todos nós somos responsáveis pela saúde e equilíbrio social.

      RESPONDER